Skip to content

Amigos, colegas, inimigos, quem continua com você?

15/08/2011

Recebi de um amigo, um comentário do Max Gehring sobre Relações Humanas, muito interessante e que me exigiu um pouco de reflexão. Basicamente, o principal ponto do comentário todo é sobre não fazer inimigos no trabalho. Entretanto, o que me fez pensar mais foi o parágrafo que diz o seguinte: “Um colega não é um amigo. Colega é aquela pessoa que, durante algum tempo, parece um amigo. Muitas vezes, até parece o melhor amigo. Mas isso só dura até um dos dois mudar de emprego. Amigo é aquela pessoa que liga para perguntar se você está precisando de alguma coisa. Ex-colega que parecia amigo é aquela pessoa que você liga para pedir alguma coisa, e ela manda dizer que no momento não pode atender.

Vi muitas pessoas – e até eu mesma – nessa situação terrível de ligar para um ex-colega, considerado um amigo, e não ser atendida. Muitas vezes nem era para pedir alguma coisa, apenas para saber notícias, bater um papo, senti-se inserido no contexto profissional. Não ser antendido doi muito, especialmente se você está num momento ruim. Por outro lado, vi ex-colegas de quem se esperava muito pouco permancerem amigos muito tempo depois do período de convivência.

Bem, acredito que, antes de mais nada, precisamos ter clareza sobre a qualidade de nossas relações de trabalho. Temos colegas, alguns que se transformam em grandes amigos (eu tenho muitos, preciosos), outros que se transformam em ex-colegas que continuam a ter simpatia e consideração por você, mas não são seus amigos, outros que são completamente indiferentes a você e ao que você faz e precisa e alguns ainda que querem ver você na pior. Esses últimos são os inimigos, que não tem jeito, sempre estarão contra você.

É importante saber que essas categorias existem e que você não pode criar expectativas erradas, sob risco de sofrer decepções e mágoas.

Seus amigos, quando deixam de trabalhar com você continuam a encontrá-lo, tentam saber como anda sua vida, telefonam algumas vezes e atendem quando você lhes telefona. Obviamente nem sempre podem ajudar você a reerguer sua carreira, ou arrumar um novo emprego ou contratá-lo como consultor. É importante você não desperdiçar uma amizade insistindo em pedir oportunidades que eles não estejam em condições de atender.

Você pode ser um grande profissional, reconhecido como tal por seus amigos, mas nem sempre eles têm como arranjar um contrato para você. Pode acontecer simplesmente de você não ser tudo isso de bom, o que não impede seus amigos de continuarem a gostar e a respeitar você, mas não é suficiente para que eles se comprometam recomendando você para uma posição que não tenham certeza que você vai dar conta. Preste atenção, amigos são preciosos demais para perder por questões materiais. Se pedir alguma coisa e seu amigo não puder atender, deixe para lá, mantenha sua amizade e busque ajuda em outro lugar. Se ele é seu amigo e pode ajudar, tenha certeza de que o fará.

Ex-colegas que continuam a respeitar você podem ser úteis nessa busca de oporunidades, mas mesmo com eles tome cuidado para não ser inconveniente. Você podia ser admirável na antiga empresa, mas se ficar insistindo em pedir coisas que não possam ser atendidas, poderá perder a simpatia e consideração dessas pessoas. Se for pedir alguma coisa, verifique antes se é possível ser atendido, seja objetivo, nada de pedir “uma chance”, “uma oportunidade”, “qualquer coisa”. Só você pode saber exatamente o que lhe serve e do que é capaz, ninguém vai fazer pesquisa de vagas que combinem com as suas necessidades. Se não for atendido dentro de um prazo razoável, ligue para lembrar, mas se perceber qualquer indício de desconforto, saia fora e vá buscar outras alternativas.

Você pode até pedir alguma coisa aos indiferentes, às vezes acontece de uma dessas pessoas poder ajudar. Se a pessoa está entre os indiferentes, é importante que você a lembre sobre algumas de suas qualidades, algum evento ou projeto em que estiveram juntos, é bom despertar boas memórias. De qualquer maneira, tenha os mesmos cuidados sempre, nada de pedidos vagos, nada de insistência repetitiva, nada de ficar falando mal se a pessoa não puder atendê-lo.

Por outro lado, com os inimigos não adianta pedir coisa alguma. Eles não ajudarão. Poupe-se de momentos tensos e aborrecidos, poupe-se de frustracões. Se alguém é seu inimigo vai lembrar até à morte cada incidente que vocês protagonizaram juntos. No momento em que você pedir alguma coisa as más memórias todas vão reaparecer e, quem sabe, a pessoa além de não ajudar, pode prejudicar o alcance do seu objetivo. Esqueça de pedir qualquer coisa aos inimigos, nem pense em mostrar fragilidade, porque eles poderão estar apenas à espera para ver você na lama…

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: