Skip to content

Love is in the Air, por Gilmara Marques

12/06/2015

Cartas de amor são escritas não para dar notícias, não para contar nada, mas para que mãos separadas se toquem ao tocarem a mesma folha de papel. (Rubem Alves)

Captura de Tela 2015-06-12 às 18.19.32Vocês já viram como os filósofos e poetas definem o amor? Eles o fazem ora como algo belo, suave, sucinto, sublime, ora como castigo, prisão, loucura e enganação. Uns morrem por amor e outros ainda, matam por amor. Como pode? Para você o que é correto? A definição romântica ou a sofredora? Bom, eu fico com as duas. Claro que gosto mais da visão romântica do amor, mas como somos humanos e por natureza paradoxais, por que o amor, o mais elevado dos sentimentos a que estamos expostos, seria diferente?

Onde nasceu o amor? Como esta ideia, da busca do ser amado, se estabeleceu nos seres humanos? Existem inúmeras visões, mas vou abordar aqui o foco da mitologia grega, que particularmente gosto muito.

Captura de Tela 2015-06-12 às 18.19.15Conta-se que há muito tempo atrás, na Grécia, a terra era habitada por homens, mulheres e por um tipo de ser que possuía em si mesmo os dois gêneros (feminino e masculino), chamados andróginos. Eram seres grandes e fortes e estavam ameaçando escalar o Olimpo, desafiando assim os deuses. Zeus decidiu então castigar estes seres e assim o fez. Os dividiu em dois e virou seus rostos para lados opostos, fazendo com que olhassem para a marca do corte, o umbigo, o que os forçou a se tornarem mais humildes e menos perigosos. Esta ação do deus dos deuses enfraqueceu o ser humano e o tornou carente, fazendo com que a partir de então, passasse a buscar a sua outra parte para se “re-unir” a um lado que foi perdido. É interessante citar que os andróginos eram também formados por sexos iguais, dois homens e duas mulheres num mesmo corpo. Logo, cria-se aqui a visão do amor hetero e homossexual. (Fonte: Mitologia grega – Junito Brandão – Ed. Vozes)
Captura de Tela 2015-06-12 às 18.21.14Esta história nos faz refletir sobre a função do amor em nossas vidas. O fato de o ser humano ter que se tornar mais humilde e menos “perigoso” nos remete à ideia de que na soberba, não conseguimos ter pelo outro o devido apreço e respeito que este merece. Reconhecer nossas fraquezas nos aproxima e nos torna semelhantes, afinal a “dor” do amor é um sentimento de todos. É universal.

Falando agora desta “outra parte”, todos nós ansiamos em encontrar nossa “alma gêmea”. O ponto é que, o que normalmente queremos encontrar em nosso par é o que nos falta, é algo que nos complete. Se pensarmos no mito, isso faz todo o sentido, uma vez que esta incompletude equivale a um castigo. Por vezes, não é mesmo dolorida a busca e os desencontros do amor?

O fato é que nunca mais seremos, tal como o mito descreve, andróginos (assim penso eu). O que nos resta agora, depois de separados da nossa “outra parte”, castigados e com a lição aprendida, é resgatar dentro de nós mesmos tudo o que entendemos que nos falta. Nos vermos como seres completos. O outro não deve ter em nossa vida, o “peso” de nos completar, mas sim de trazer para nós a sua presença, como ser completo que também é. Nos dar e receber, por meio da relação, a leveza de estar juntos para dividir e compartilhar sonhos, desejos e nossa essência.

Captura de Tela 2015-06-12 às 18.21.40O ponto de partida nesta jornada, somos nós mesmos! Nunca o outro. Se isto não fica claro, entramos em uma relação amorosa com uma visão destorcida sobre o que são as nossas necessidades e esperamos do outro algo que provavelmente nunca teremos e daí, quem decepciona quem? Sempre, em todo tipo de relação nós somos o início do processo. Daí o quanto é importante o autoconhecimento para que não façamos conosco o mesmo que Zeus fez: nos mutilar e quebrar a nossa unicidade para procurá-la em outros! O amor portanto, tem uma função fundamental no nosso desenvolvimento enquanto seres humanos em constante evolução.

Este é um assunto que não termina, muito pelo contrário, ele só abre portas para pensarmos em nós e em como estamos conduzindo este tema em nossas vidas. Por isso, fica a provocação – dá para entender o amor? Sei lá. Dá para talvez tentar explicar, mas o bom mesmo do amor é viver… “Felizes (consigo mesmo) para sempre”.

Captura de Tela 2015-06-12 às 18.26.35Frases sobre o amor (aliás, muito aderentes ao que os gregos nos ensinaram sobre o tema)

O amor é a única loucura de um sábio e a única sabedoria de um tolo. (William Shakespeare)

O amor é cego, por isso os namorados nunca veem as tolices que praticam. (William Shakespeare)

 O amor só é lindo, quando encontramos alguém que nos transforme no melhor que podemos ser. (Mario Quintana)

Captura de Tela 2015-06-12 às 18.28.59Amar é mudar a alma de casa. (Mario Quintana)

Pois de amor andamos todos precisados! Em dose tal que nos alegre, nos reumanize, nos corrija, nos dê paciência e esperança, força, capacidade de entender, perdoar, ir para a frente!

(Carlos Drummond de Andrade)

 E quando você estiver vivendo no clímax dessa paixão, Que sinta que essa foi a melhor de suas escolhas! Que foi seu grande desafio… e o passo mais acertado De todos os caminhos de sua vida trilhados! Mas se assim não for… Que nunca te arrependas pelo amor dado! (Carlos Drummond de Andrade)

Será possível, então, um triunfo no amor? Sim. Mas ele não se encontra no final do caminho: não na partida, não na chegada, mas na travessia. (Rubem Alves)

Gilmara Marques

Consultora Interna de Desenvolvimento de Pessoas na Câmara de Comercialização de Energia Elétrica, em São Paulo

Psicóloga, com especialização em psicologia Junguiana pela FACIS e em
Consultoria de Carreira pela FIA. Possui mais de 20 anos de experiência na
área de Recursos Humanos e atualmente atua na Consultora Interna de
Desenvolvimento de Pessoas na Câmara de Comercialização de Energia
Elétrica, em São Paulo

Anúncios
No comments yet

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: