Perder poder na empresa: está difícil de enfrentar? (já publicado em janeiro de 2010)

Boa parte das pessoas que conheço (inclusive eu mesma) passou por aquele terrível momento de perder poder dentro da empresa. É o inferno na terra e faz com que qualquer um se questione sobre sua capacidade profissional, seu futuro, suas relações com os outros, enfim, o mundo desmorona um pouco. Uma gerente que perde o cargo numa reestruturação, um diretor que precisa aceitar uma posição de assessor para não perder o emprego, a secretária do presidente que é “promovida” para a área de recursos humanos ou comunicação, todos esses são exemplos de perda de poder comuns em qualquer empresa.

Por mais que você diga a si mesmo que está melhor assim, não acredita. Muitas vezes você está mesmo melhor, mas só vai descobrir quando se firmar na nova posição e perceber que as pessoas reconhecem sua capacidade para fazer o que está fazendo e está se saindo muito bem. Tenha certeza de que a última pessoa que vai reconhecer isso é você mesmo.

Bem, se você perdeu poder e não pode ou acha que não pode pedir demissão e recomeçar em outro lugar, saiba que terá que passar por todas as etapas da perda. Só depois começará a adquirir um novo poder, baseado em novas conquistas, com vitórias sofridas e outras verdades aprendidas. Portanto, terá que trabalhar muito para chegar lá novamente.

Para começar se, no seu cargo antigo, você era bem visto, considerado alguém cooperativo, que respeitava os outros, inteligente, bom caráter, vai ser mais fácil se reerguer. Se você abusava de seu poder, tratava as pessoas com pouca consideração, não tinha a estima e simpatia dos seus colegas, vai ser muito mais difícil. Em ambos os casos, você terá que fazer um esforço enorme de humildade e pedir ajuda para quem está na sua nova área há mais tempo.

Vale a pena pensar em fazer terapia ou recorrer a um coach (não é puxar brasa para minha sardinha, tenha certeza) que poderá ajudá-lo a descobrir potenciais adormecidos e esquecidos e a dar uma turbinada na sua imagem. Um curso de especialização ou um curso curtinho relacionado à nova atividade vai mostrar que você veio disposta a consolidar sua posição na área. Acreditar em você mesmao na sua capacidade de superar obstáculos, vai lhe dar a força necessária para dar a volta por cima. Entretanto, se não conseguir lidar com a necessidade de reconquista, procure outro emprego, mesmo que seja de menor importância. Em outra empresa você será um desconhecido, uma surpresa, sem precisar explicar aos amigos e aos inimigos o que você está fazendo ali.

Anúncios

Gerenciamento de carreira: o papel do Coach

Se você quer gerenciar sua carreira em vez de deixar nas mãos da empresa em que trabalha ou do destino, saiba que isso vai exigir algum esforço e disciplina de sua parte. Para começar, defina os objetivos que pretende buscar. Coisas concretas, tais como chegar a diretor de marketing em três anos, ganhar um salário de R$20.000 em quatro anos, trabalhar fora do país numa multinacional de primeira linha em um ano ou outra coisa que faça você sentir-se realizado.

Para ter maiores referências de que está com os objetivos corretos, relacione-os também a ganhos pessoais que poderão vir junto. Por exemplo, quando você estiver ganhando R$20.000 poderá comprar sua casa de praia ou aquele carro importado para sua esposa ou seu marido. Quando estiver trabalhando numa multinacional no exterior poderá conhecer muitos novos lugares, que é um sonho da sua vida. Isso vai concretizar verdadeiramente quais serão seus ganhos e animá-lo ainda mais a buscar atingir seus objetivos o mais rápido possível.

Se você tem dificuldades em definir os objetivos ou está em dúvida sobre sua capacidade de atingi-los e não consegue resolver, busque ajuda de profissionais especializados. Um desses profissionais é o Coach. O Coaching é definido como um processo que visa elevar a performance de uma pessoa, grupo ou empresa, descobrindo potencialidades adormecidas para aumentar os resultados positivos.

O Coaching utiliza metodologias, ferramentas e técnicas, dentro de um processo de parceria e construção conjunta entre o Coach  e o cliente, o Coachee. O Coach é o profissional que pode ajudar você a obter mais realizações e  atingir melhores resultados em sua vida profissional e até mesmo na sua vida pessoal. Ele concentra-se no ponto em que você se encontra no momento, acompanha na projeção do seu objetivo no futuro e direciona você na definição das ações que o levarão a esse objetivo.

Através de metodologia que utiliza perguntas precisas e observações pontuais, ele faz com que você descubra e implemente as soluções necessárias para conquistar seus objetivos. Além disso, ajuda-o a entrar em ação de forma efetiva e focada, a potencializar seus pontos fortes e trabalhar naqueles menos destacados.

O processo utiliza reuniões, que podem ser semanais ou em periodicidade diferente se for conveniente para você, num número definido no início, mas com possibilidades de mudança. Ao final, você terá maior clareza em relação aos seus objetivos, aos seus pontos fortes e àqueles que precisam de um reforço e um caminho definido para ir em direção ao seu futuro desejado.

Fechado esse ciclo de encaminhamento, você pode definir um programa de acompanhamento (uma sessão mensal, ou bimensal ou na periodicidade que vocês acharem ideal) para discutir resultados e, se for necessário, correções na viagem. Tome cuidado com uma coisa apenas: coaching está na moda e muitas pessoas estão se aventurando e oferecendo o trabalho, sem terem a formação e a experiência necessárias para lidar com assunto tão importante. Preste atenção e escolha alguém com formação e experiência.

Sociedade Brasileira de Coaching