Boa educação sempre é bom…

Captura de Tela 2016-07-11 às 13.48.22Ser bem educado para muitas pessoas é algo natural, não exige nenhum esforço. Para outros, entretanto, aparentemente é algo quase impossível. Confundem demonstração de poder com grosseria, falta de respeito ao próximo, são incapazes de pedir desculpas ou por favor. Tratam outros seres humanos como se fossem inferiores, como se houvesse diferença entre profissões, cor, crenças ou outro critério absurdo.

O que eu gostaria de dizer a essas pessoas é que elas têm a ganhar sendo bem educadas. Ser bem educado produz reações amigáveis, boa vontade e colaboração. Num tempo em que as pessoas mais bem informadas estão cada vez mais se preocupando com natureza, sustentabilidade, comunidade, compartilhamento e outros valores relacionados ao que o ser humano tem de melhor, boa educação agregar valor a qualquer um que queira ter uma boa imagem. Se não for por outra razão, que tal essa?

 

Desânimo no ambiente de trabalho: já parou para pensar nas causas?

Captura de Tela 2016-01-28 às 16.23.50Segundo a Isma – Br (International Stress Management Association), por volta de 30% dos trabalhadores brasileiros são portadores da Síndrome de Bournot, ou Síndrome do Esgotamento Profissional.

A Síndrome de Bournot, assim chamada pelo psicanalista americano Herbert Freudenberger, é um processo  exaustão física e mental, que provoca falta de perspectivas de carreira que traz insatisfação e ineficiência no trabalho.

Ela afeta tanto homens quanto mulheres, mesmo que as causas tenham pesos diferentes para cada um. Segundo especialistas, o que mais estressa os homens é a incerteza quanto ao futuro profissional, ao passo que as mulheres são mais afetadas pela sobrecarga de trabalho. Como ainda vivemos num país em que os homens são considerados os provedores e as mulheres têm que se desdobrar nos diversos papéis (profissional, de dona de casa, mãe…) é natural que as principais causas de estresse sejam essas.Captura de Tela 2016-01-28 às 16.24.46

Outros  problemas podem ser salários baixos e pressão excessiva do chefe mas, principalmente o fato de o profissional estar fazendo o que não gosta. Infelicidade desanima qualquer um. O primeiro passo para enfrentar o problema é o mesmo para quem está sofrendo o processo ou para um líder que precisa corrigir um processo desses dentro da sua equipe: buscar as motivações. Descobertas as razões é hora de trabalhar nas soluções.

Captura de Tela 2016-01-28 às 16.40.10Se você é o profissional que se percebe desanimado e me permite dar algumas dicas, saiba que é importante reconhecer que você é o responsável por enfrentar o problema antes de qualquer outra pessoa. Sua felicidade e realização no trabalho são sua obrigação, portanto não espere que outros abram todas as portas ou tragam soluções prontas. Reclamar ou ficar apático esperando que um milagre aconteça não vai levá-lo a lugar nenhum, só a ação organizada poderá trazer benefícios.

Você pode pensar que, já que decidiu tomar providências para resolver o problema tem que sair correndo para ter tudo certo em um minuto. Nada disso, essa situação levou anos para ser criada e ter a atual dimensão. Tenha calma, planeje cada passo, procure não repetir comportamentos que possam criar outros momentos desanimadores ou desagradáveis. Lembre-se que tem um um objetivo definido: mudar sua vida profissional para ser mais feliz, produtivo e eficiente.

Sua saúde está bem? Se não está, antes de começar a buscar alternativas, cuide de tratar-se. Se for possível, entre num desses programas de vida saudável, comida adequada, exercícios físicos, sono adequado. Boa saúde evita processos depressivos e exercícios físicos produzem endorfina e, consequentemente, bem estar. Só isso já vai mudar sua maneira de ver as coisas.Captura de Tela 2016-01-28 às 16.26.49

Busque novas fontes de conhecimento que poderão despertar interesses inesperados e até capacidades adormecidas. Que tal um exercício sincero de auto-análise? Descubra o que o faz feliz, resgate memórias de infância, tenha clareza sobre os valores que realmente representam suas crenças. Junto a isso, faça uma lista de suas qualificações e habilidades, mesmo que não estejam relacionadas ao trabalho no qual você está ligado no momento.

Um exame detalhado de suas finanças, lhe dará certeza de quanto você realmente precisa ganhar para atender àquilo que é importante para você. Muitas vezes, ficamos tão envolvidos com o que “todo mundo tem” ou o que “a maioria das pessoas quer” que esquecemos aquilo que queremos ou gostamos. E aí, criamos necessidades financeiras pesadas para satisfazer demandas que nem são nossas. Ao organizar suas finanças,você consegue definir o que  tem que gastar realmente pois isso poderá lhe dar mais conforto para tomar decisões mais radicais. Aprenda a gastar menos do que ganha, ensine sua família a respeitar os limites e pense em investir a diferença para adquirir independência financeira.Captura de Tela 2016-01-28 às 16.37.25

Defina o que você não quer de maneira nenhuma, aquilo que viola seus valores e o faz sentir-se fora do contexto. Defina também o que você quer, faça testes de personalidade, de aptidões ou outros que possam lhe dar mais clareza. Liste aquilo que você tem certeza de que seria o melhor para você, veja quais qualificações e aptidões são necessárias e se você as tem ou pode adquirir.

É fundamental não cair na armadilha de criar expectativas irrealistas, elas poderão se transformar em frustrações que deixarão tudo muito pior. Se você não fez um curso de medicina, não dá para chegar à conclusão que pode ser um cirurgião sem frequentar a Universidade e fazer anos de especialização. Claro que esse é um exemplo radical, mas se você é uma pessoa introvertida, que tem dificuldade para se expor, é melhor não buscar um emprego de animador de auditório num programa de TV. Os testes podem ajudá-lo a definir áreas e tipos de trabalho que mais lhe convém.

Captura de Tela 2016-01-28 às 16.28.20Sobretudo, comece a ser generoso com as outras pessoas, elas retribuirão com satisfação e terão mais prazer em estar com você. Colabore com seus colegas e amigos, aí pode estar uma oportunidade de buscar motivação. Peça ajuda, fale com seu chefe e com seus colegas, mas tome cuidado para não ficar apenas reclamando, deixe claro que você está em busca de solução. Eles poderão ajudá-lo a ficar na empresa numa condição melhor ou abrir oportunidades externas.

 

Tudo o que você queria saber sobre Outplacement e não tinha para quem perguntar

Captura de Tela 2015-12-11 às 13.29.55Segundo a AOCFI – The Association of Outplacement Consultancy Firms International, associação que regula internacionalmente a atividade, o Outplacement é definido como um processo que auxilia colaboradores demitidos a abordar o mercado de trabalho de modo organizado e disciplinado, na busca por uma recolocação no menor tempo possível e com mínimo de impacto.

É uma significativa ferramenta de gestão organizacional que humaniza processos de demissão, facilitando a vida das pessoas e da empresa. As empresas brasileiras começaram a usar esse trabalho na década de 90, no geral relacionado aos grandes processos de privatização e de fusões e aquisições.

Captura de Tela 2015-12-11 às 13.28.35Dessa forma, o serviço de outplacement geralmente era – e ainda é – contratado pela empresa que tem um programa de demissão estruturado. Entretanto, num momento de crise como o que estamos vivendo, muitas pessoas vêm sendo demitidas sem que a empresa se preocupe com o futuro que as espera. Num momento de corte de custos extremos, as demissões por si sós representam um gasto muito significativo e muitas empresas deixaram de investir nesse serviço.

Então, muitas pessoas estão usando dinheiro recebido por conta da demissão na contratação de serviços de outplacement, sem muitas certezas sobre o que esperar. Daí nossa preocupação em esclarecer alguns pontos obscuros relacionados ao tema.

Captura de Tela 2015-12-11 às 13.28.58Em primeiro lugar, um processo de outplacement não lhe garantirá um emprego novo. Esse serviço – de recolocação profissional – pode ou não estar incluído no seu pacote. Esclareça isso antes de criar expectativas erradas. Mesmo que não inclua a garantia de recolocação, o outplacement é uma atividade abrangente e importante para quem está em busca de um novo lugar para trabalhar.

Na maior parte dos casos, demissão provoca um momento difícil, de insegurança e de dúvidas sobre a própria capacidade. Quando uma consultoria em outplacement é contratada, ela dá suporte ao profissional, ajuda-o a passar pela dificuldade e a resgatar suas aptidões e capacidades. Além disso, vai orientá-lo sobre a melhor maneira de recomeçar.

Captura de Tela 2015-12-11 às 13.38.51Apesar de ser difícil, você pode aproveitar essa oportunidade para repensar sua carreira, descobrir quem você realmente é e o que o faz feliz. Um profissional de outplacement vai ajudá-lo não apenas a rever seus objetivos pessoais e profissionais, mas também  a descobrir aqueles empregos que poderão lhe trazer mais satisfação pessoal. Ele vai dar suporte para você preparar e adequar seu currículo  e vai prepará-lo para entrevistas.

Captura de Tela 2015-12-11 às 13.42.58Ele o auxilia a desenvolver a sua rede de contatos e de relacionamento – que é fundamental nesse momento -, cuidar desta rede e trabalhar técnicas de marketing pessoal e de negociação. Incentiva, ainda, a busca do aperfeiçoamento e do desenvolvimento que poderá auxiliá-lo a tornar-se mais interessante para o trabalho que você tem em mente. Ele vai ajudá-lo a focar nas empresas que lhe interessam e na maneira correta de abordá-las.

Enfim, um processo de outplacement, mesmo que não lhe dê a vaga que você quer, vai ajudá-lo a conquistá-la através de seus próprios esforços e méritos.

É hora de turbinar sua carreira. Inicie 2012 preparado para crescer

Você está buscando

             Melhoria na carreira?

             Novo emprego ou reposicionamento na empresa atual?

             Fazer as escolhas certas para ampliar sua capacidade técnica através de cursos e treinamentos?

             Maior segurança pessoal e profissional?

             Maior equilíbrio entre vida pessoal e vida  profissional?

O processo de Coaching ou a Terapia de Carreira em Grupo vão ajudá-lo a

            Romper limites pessoais

            Descobrir interesses, valores e habilidades úteis para a carreira

            Identificar cursos e relações necessárias para melhor utilizar suas aptidões e qualificações

            Ampliar a explicitação de suas realizações profissionais.

            Definir necessidades de desenvolvimento para atingir metas

            Fazer um Plano de Ação para ajudar no caminho

Maria do Carmo Marini é engenheira, com especialização em comunicação corporativa e coaching pessoal e profissional.  Oferece terapia de carreira para mulheres e homens que precisam ampliar sua imagem e competência social, estão em busca de melhorias profissionais ou precisam enfrentar situações específicas no trabalho ou na vida social para as quais não estão devidamente preparados. Escreveu “Alça de Silicone – Conselhos para mulheres em busca do sucesso profissional”, baseando-se na sua experiência como executiva em grandes empresas nacionais e multinacionais. É responsável pelo conteúdo de aplicativo da Apple, Be The Boss.