Criatividade, empatia e coragem são as habilidades do futuro – Parte I

Captura de Tela 2017-09-21 às 13.50.24Essa é uma das muitas previsões apresentadas no Summit 2017 da Singularity University, comunidade global que usa tecnologias exponenciais para enfrentar os maiores desafios do mundo, segundo suas próprias palavras. O negócio deles é o futuro! Você está preparado?

Que tal falarmos de criatividade para começar? Segundo o dicionário, criatividade é “inventividade, inteligência e talento, natos ou adquiridos, para criar, inventar, inovar, quer no campo artístico, quer no científico, esportivo etc.” Veja que destaquei o natos ou adquiridos. Quero chamar à atenção a possibilidade de se adquirir a criatividade. Portanto, não é possível mais ouvir que alguém nunca será criativo.Captura de Tela 2017-09-21 às 13.45.14

Você pode desenvolver sua criatividade com alguns estímulos bastante fáceis de buscar. O primeiro passo é permitir-se aprender. Quando eu digo permitir-se aprender, quero dizer que você precisa saber que pode errar e não deixar-se desanimar pelo erro. Errar é uma parcela essencial de qualquer aprendizado e se você não der licença a si mesmo para errar, dificilmente aprenderá algo novo.

Para continuar a busca de sua criatividade escondida, não exija demais de si mesmo. Não é necessário ser um sucesso na primeira tentativa, conforme-se em ser mais ou menos até que tenha suas habilidades plenamente desenvolvidas.

Captura de Tela 2017-09-21 às 13.48.26Amplie seus conhecimentos. Se tiver mais e mais referências, poderá criar um repertório mais amplo para ter certezas sobre suas propostas. Ah, importante também é testar sua ideia. Enquanto ela estiver dentro da sua cabeça, dificilmente você poderá ter segurança sobre suas possibilidades de aplicação. Não tenha medo de testes, se um ou outro fracassar, você faz os acertos necessários e tenta de novo.

Não tenha medo de pedir ajuda. Muitas vezes o detalhe que falta para sua nova ideia ser um sucesso pode vir de alguém até inesperado. Se puder, tente conhecer histórias de gente reconhecidamente criativa e de como eles conseguiram esse reconhecimento. Alguns caminhos seguidos por outros podem ser inspiradores.Captura de Tela 2017-09-21 às 13.46.25

Não desanime com algumas tentativas frustradas, tenha foco e siga em frente. Se desistir quando enfrentar algum bloqueio, você poderá não saber que chegou a um passo de atingir seu objetivo.

Nessa hora de bloqueio, muitas vezes o que você precisa é de distração ou descanso. Dê um passeio na vizinhança, vá tomar um café com uma amigo, tire um cochilo se estiver muito cansado. Novos ares ou momentos de relaxamento ajudarão sua mente a ficar calma e poderão ser iluminadores.

Captura de Tela 2017-09-21 às 13.49.19Enfim, acredite em si mesmo, na sua capacidade de aprender e desenvolver novas habilidades. Se achar que não consegue e tiver tempo e paciência, faça um dos inúmeros cursos que ajudam a desenvolver a criatividade. Eles são oferecidos por muitas instituições respeitáveis em todo o país.

Mais do que tudo, acredite, você tem jeito!

 

 

Anúncios

Pontos Importantes do Currículo

Captura de Tela 2015-09-14 às 14.20.09Preparar-se para buscar novo emprego é bastante simples se você prestar atenção a todas as etapas do processo e fizer dessa busca um projeto organizado. O primeiro passo para se apresentar ao mercado é a atualização do seu currículo. Aqui vão algumas dicas para ajudar.

Seu currículo tem que mostrar o que você aprendeu, não apenas nos cursos que fez, mas principalmente através de suas experiências de trabalho e de vida. É muito importante que ele mostre como você usou seu conhecimento para trazer benefícios para as empresas nas quais trabalhou. Fale sobre os resultados que você alcançou em razão de suas habilidades e capacidades.

Demonstre como poderá ter sucesso ao enfrentar situações novas – pois isso será necessário em novas posições ou empresas -,  falando de características tais como sua flexibilidade, criatividade e capacidade de enfrentamento de problemas.

Demonstre seu interesse contínuo em aperfeiçoamento direcionado, ou seja, aquele que você buscou para melhorar sua trajetória profissional. Entretanto, mesmo que muitas vezes um curso não esteja relacionado com sua profissão, pode servir para você desenvolver outras capacidades como liderança, negociação ou planejamento. Esteja pronto para deixar claras essas relações ou nem vale a pena citar.

Captura de Tela 2015-09-14 às 14.22.37Descreva suas atividades extracurriculares, especialmente aquelas ligadas a ações sociais. Com isso você irá demonstrar seu interesse pelos outros ou pelo meio ambiente, por exemplo. Estar antenado em relação aos acontecimentos da sociedade e mesmo do mundo é inteligente e atual.

Se você trabalhou em empresas de grande porte, especialmente multinacionais que exigem uma relação com outros países, não deixe de destacar. A capacidade de lidar com outras culturas é bastante apreciada em diversos segmentos.

Se você trabalhou em consultoria ou forneceu serviços ou produtos para empresas do mesmo setor em que está buscando uma oportunidade, não deixe de citar, pois é importante que seus novos empregadores saibam que você conhece a realidade do segmento.

Enfim, deixe explícitas suas qualificações, conte sua história profissional de forma clara e sucinta, escolha um bom modelo entre as dezenas de sugestões que você encontra em qualquer site que trate do assunto. Use letras simples e cores sóbrias, nada de colorir ou colocar imagens, a menos que você seja de uma área de criação e arte. Seu currículo será a chave que vai abrir as primeiras portas para você.

A preguiça é necessária e pode ser bastante produtiva, por Lucy Kellaway

“Recentemente, tomei um drink com uma amiga da época da universidade que é uma das mulheres mais ocupadas que conheço. Há anos ela tem um cargo importante em uma grande organização, ao mesmo tempo em que lida com um ex-marido, vários filhos e os pais, que estão muito velhos.Captura de Tela 2015-03-02 às 12.52.14

Mas, seis meses atrás, algo aconteceu. Ela se apaixonou e, assim, começou a querer passar todo o tempo livre com seu novo homem. O problema é que ela não tinha nenhum tempo livre. Assim, em vez de diminuir as horas que passava com os filhos, ela começou a trabalhar menos – bem menos.

Por ser sênior o suficiente para controlar sua agenda, ela agora chega ao escritório mais tarde, sai mais cedo e deixou de comparecer à maioria das reuniões. Ela não envia mais e-mails à noite e nos fins de semana. Evita encontros sociais e em vez de almoçar com contatos, prefere fazer isso com o namorado.

Captura de Tela 2015-03-02 às 12.56.37Na semana passada, perguntei a ela o custo que tudo isso está tendo para a sua carreira. Nenhum, respondeu, com um brilho triunfante no olhar. Estes estão sendo os melhores seis meses que ela já teve, período em que recebeu sua maior bonificação e que poderá resultar em um emprego ainda melhor.

Especulei que essa felicidade toda estaria sendo motivada pelo amor, que estava fazendo-a se sentir invencível. Afinal, a vida tem uma maneira injusta de oferecer grandes coisas às pessoas quando elas já estão com muita sorte. Nada disso, respondeu. Ela simplesmente descobriu que menos é mais. Ficou mais preguiçosa, o que a deixou muito mais concentrada. Assim, gasta tempo apenas com as coisas que realmente importam – todo o resto, ou ela não faz ou delega para alguém.

Essa experiência a conduziu a uma nova teoria sobre o sucesso que afirma que a preguiça é uma coisa boa. Somente sendo preguiçosos nos tornamos verdadeiramente eficientes e passamos a ver o que é importante e o que não é.Captura de Tela 2015-03-02 às 13.02.52

O problema com as mulheres, diz ela, é que nos esforçamos demais. Nos fazemos de mártires da perseverança e, em vez de isso ser nossa vantagem secreta, é nossa ruína. Se fossemos mais preguiçosas, estaríamos nos saindo melhor.

Ela não só está certa, como sua teoria é muito sedutora. “Faça acontecer”, diz a rainha corporativa Sheryl Sandberg, enquanto todo grande CEO alerta seus subordinados de que se eles não gostam de acordar às 4 horas da manhã e responder e-mails fazendo ginástica, nunca chegarão ao topo.

Captura de Tela 2015-03-02 às 13.07.00Minha amiga não é a primeira pessoa a ver isso como errado. Helmut von Moltke, comandante do exército prussiano, chegou lá um século e meio antes dela ao inventar uma das primeiras matrizes administrativas. Ele avaliava seus oficiais em duas escalas: inteligente vs. estúpido e preguiçoso vs. dinâmico. Dessa forma, surgiram quatro combinações: estúpido e preguiçoso – bom para executar ordens; estúpidos e dinâmicos – muitos perigosos, pois tomam decisões erradas; inteligentes e dinâmicos – oficiais de Estado-maior excelentes; inteligentes e preguiçosos – dão comandantes excelentes, pois apresentam resultados.

O sistema funcionou muito bem para o exército prussiano e certamente poderia funcionar muito bem nas corporações modernas. Mas, em vez de empregar algo tão estimulante e honesto, os teóricos da administração pegaram a ideia de Moltke e a arruinaram, transformando-a na moderna e sem graça matriz “skill-will” (na tradução literal, “habilidade-vontade”).Captura de Tela 2015-03-02 às 13.07.56

Segundo essa corrente, a pessoa que é inteligente e preguiçosa (ou “altamente habilidosa mas com pouca vontade”) não é tida como alguém que ganhou na loteria. Elas são percebidas como pessoas que precisam de orientação.

A preguiça, segundo a visão moderna, é como uma doença ou algo que precisa ser extirpado sob orientação. No entanto, conforme minha amiga demonstrou, o que vale é o inverso – a preguiça precisa ser incutida nos executivos mais graduados.Captura de Tela 2015-03-02 às 13.09.20

É preciso esclarecer, contudo, que o tipo de preguiça a ser encorajado não é a variedade negligente, que significa que você faz um trabalho ruim. Isso não é preguiça, é estupidez. O que precisamos é da versão inteligente, que surge da percepção de que há um custo de oportunidade para cada minuto que passamos trabalhando – de modo que precisamos usar nosso tempo de maneira sábia.

Nunca a magnanimidade da preguiça foi tão necessária no alto escalão. O trabalho duro não está prejudicando apenas executivos que dormem pouco, mas também as companhias que os empregam. Segundo um estudo feito pela consultoria Bain no ano passado, uma única reunião executiva por semana em uma grande empresa consome até 300 mil horas das pessoas por ano.

Captura de Tela 2015-03-02 às 13.11.14Um estudo parecido da McKinsey mostrou que só metade dos líderes das empresas dedicam tempo suficiente aos negócios prioritários, boa parte do dia eles desperdiçam com e-mails, reuniões, fofocas e “apagando incêndios”.

O amor curou minha amiga de tudo isso. Mas como esse método não é prático (e possivelmente não desejável), alguma outra coisa precisa ser feita. Felizmente, a maioria de nós é naturalmente preguiçosa e, assim, o que precisamos fazer é encontrar um jeito de trazer de volta à vida nosso preguiçoso interior. Ajustar o despertador para tocar uma hora mais tarde é uma boa maneira de começar.”

Lucy Kellaway é colunista do “Financial Times”. Sua coluna é publicada às segundas-feiras na editoria de Carreira