A formiga e a cigarra, uma brincadeirinha para iniciar o fim de semana…

Confetes e News

Recebi de uma grande amiga e parceira de trabalho, que hoje está construindo uma nova carreira e uma nova persona, mais feliz e tranquila:

Era uma vez, uma formiguinha e uma cigarra muito amigas…

Durante todo o outono, a formiguinha trabalhou sem parar, armazenando comida para o período de inverno. Não aproveitou nada do sol, da brisa suave do fim da tarde e nem o bate-papo com os amigos ao final do trabalho tomando uma cervejinha gelada. Seu nome era ‘Trabalho’, e seu sobrenome era ‘Sempre’.

Enquanto isso, a cigarra só queria saber de cantar nas rodas de amigos e nos bares da cidade; não desperdiçou nem um minuto sequer. Cantou durante todo o outono, dançou, aproveitou o sol, curtiu prá valer sem se preocupar com o inverno que estava por vir.

Então, passados alguns dias, começou a esfriar. Era o inverno que estava começando. A formiguinha, exausta de tanto trabalhar, entrou para a sua singela e aconchegante toca, repleta de comida. Mas alguém chamava por seu nome, do lado de fora da toca.
Quando abriu a porta para ver quem era, ficou surpresa com o que viu. Sua amiga cigarra estava dentro de uma Ferrari amarela com um aconchegante casaco de vison.

E a cigarra disse para a formiguinha:
– Olá, amiga, vou passar o inverno em Paris. Será que você poderia cuidar da minha toca?
E a formiguinha respondeu:
– Claro, sem problemas! Mas o que lhe aconteceu? Como você conseguiu dinheiro para ir à Paris e comprar esta Ferrari?

E a cigarra respondeu:
– Imagine você que eu estava cantando em um bar na semana passada e um produtor gostou da minha voz. Fechei um contrato de seis meses para fazer show em Paris… A propósito, a amiga deseja alguma coisa de lá?
– Desejo sim, respondeu a formiguinha. Se você encontrar o La Fontaine (Autor da Fábula Original) por lá, manda ele ir para a ‘Puta Que O Pariu!!!’

Moral da História:

Aproveite sua vida, saiba dosar trabalho e lazer, pois trabalho em demasia só traz benefício em fábulas do La Fontaine. Trabalhe, mas curta a sua vida. Ela é única!!! Se você não encontrar a sua metade da laranja, não desanime, procure sua metade do limão, adicione açúcar, pinga e gelo, e…. Seja feliz !

Os pés precisam de carinho

Confetes e News

Um dia desses, passeando por uma loja de cosméticos, encontrei um produto interessante que provavelmente todo mundo conhece, mas eu não conhecia. Trata-se de uns sachets escalda-pés. Não parece coisa de literatura clássica brasileira? Escalda-pés… Lembra naftalina e os escritores românticos com suas histórias de amor sofrido.

Bem, antigo ou não, decidi experimentar e adorei. Você coloca o sachet em água morna numa bacia e deixa os pés de molho por 15 minutos. É ideal para combater a sensação de pés cansados e sofridos após um dia inteiro de trabalho e um carinho depois que eles carregaram você durante um dia inteiro, com o agravante de, no caso de você ser mulher, muitas vezes ser sobre saltos. O que eu comprei traz cinco sachets e custa por volta de R$ 10,00, o que não é caro, especialmente porque o retorno compensa.

Como gostei muito da experiência, depois disso busquei mais coisas para dar aos pés o conforto que eles merecem e descobri que você pode encontrar o serviço de escalda-pés em clínicas de São Paulo e de outras cidades do Brasil. É claro que existem variações entre cada clínica, não apenas em relação ao serviço oferecido, mas também aos preços cobrados.

Entretanto, é um procedimento simples que você pode, se tiver habilidade e paciência ou alguém que queira agradá-lo ou agradá-la, fazer em casa mesmo. Busquei uma “receita” para você, veja: durante o banho passe pedra pomes ou uma lixa de pés nos pontos mais ásperos, debaixo do calcanhar, embaixo do dedão e outros lugares que possam acumular uma pele mais grossa. As células mortas serão eliminadas e você pode massagear os pés com um creme esfoliante específico que termina o trabalho, deixando seus pés suaves ao toque.

Enxágue e ponha de molho na mistura de um sachet com uns dois litros de água morna, deixando por uns 15 ou 20 minutos. Após essa “carícia”, seque bem os pés e aplique um hidratante, massageando o pé inteiro, deslizando os dedos na planta para soltar os nozinhos que se formam lá. Se for mulher e quiser completar o trabalho, empurre as cutículas e passe esmalte (eu gosto de vermelho…). Seus pés vão agradecer e no outro dia você estará muito mais disposta a voltar para o sapato de trabalho. Boa sorte.