Carreira – Dica do Dia

Captura de Tela 2017-04-10 às 08.14.46

Anúncios

Dica de Carreira

Captura de Tela 2015-06-22 às 10.20.47

Ser demitido é muito ruim. Na maioria dos casos é difícil perceber as próprias falhas e mesmo que você seja capaz de fazer isso, não vai ficar menos frustrado. Algumas pessoas ficam até ressentidas com a empresa, com o ex-chefe e até com alguns colegas.

Captura de Tela 2015-06-22 às 10.21.56

Entretanto, se você for para uma entrevista em busca de um novo emprego, engula sua frustração e não fale mal da empresa ou não diga que ela não deu valor ao seu imenso talento. Diga apenas que houve um redirecionamento estratégico para o qual seu perfil não se adequava e possivelmente você não mais seria a melhor pessoa para corresponder aos anseios da empresa.

Dizendo Não

Na semana passada, andei conversando com um head hunter que recruta jovens para o mercado de trabalho e ouvi uma coisa que nunca havia imaginado. Ele me disse que nem chamava profissionais oriundos de algumas faculdades não porque a formação técnica fosse ruim, mas porque eles não têm nenhum preparo na área de comportamento. Algumas das coisas de que ele se queixou foram a falta de resposta ao final do processo e a ausência em entrevistas marcadas quando os candidatos não aparecem nem avisam que vão faltar, enfim, a uma série de pequenas indelicadezas que mostram pouca elegância e educação.

Não sei se esse fenômeno tem a ver apenas com os jovens em início de carreira, mas acho interessante falar para todo mundo porque um descuido pode fazer você se comportar dessa maneira e fazer perder muitos precisos pontos conquistados com muito trabalho e esforço.

Então, se você participou de um processo de seleção e, ao final, descobriu que a posição não será boa para você, não tenha receio de dizer não. Se descobriu no meio do processo, não deixe para comunicar somente no final. Não perca o seu tempo nem o do recrutador. Não pense em sumir, não atender ao telefone ou dar desculpas para não falar com a pessoa com quem você interagiu no processo. Você tem todo o direito de não querer o trabalho, mesmo que tenha se interessado num primeiro momento.

Seja delicado, diga que concluiu durante o processo que a vaga não é exatamente compatível com suas atuais expectativas, mas seja firme. Comunique sua decisão pessoalmente se for possível, mas por telefone não fica ruim. Até um email poderá resolver a questão mas não é tão efetivo ou gentil quanto um telefonema ou uma visita. Agradeça a oportunidade e diga o quanto se sentiu lisonjeado por ter sido lembrado para a vaga. Se tiver interesse na proposta para o futuro, proponha retomar o contato dentro de alguns meses. Se não tiver, lembre-se que você poderá precisar de outra posição oferecida pelo mesmo recrutador em outro momento, fique com o contato e deixe uma boa impressão.

Se conhecer uma pessoa mais adequada para o cargo pergunte se pode indicar o nome de alguém de suas relações para o emprego. Isso poderá ser simpático para a empresa e você poderá ajudar um amigo que esteja atrás de oportunidades. Não indique para o cargo alguém mal qualificado. Mesmo que você tenha descoberto que a vaga não lhe serve no momento, indicar alguém fraco vai dar a impressão de desprezo pelo processo de recrutamento do qual você participou. Isso desvaloriza automaticamente seu próprio passe.

Viu como é fácil? Pequenos gestos gentis deixam portas abertas e possibilidades de oportunidades em outras ocasiões. Tenha certeza de que, se você precisar, isso fará uma grande diferença. Se não precisar… Bem, no mínimo você garantiu simpatia e boa vontade.

Entrevista de emprego, algumas dicas

Você conseguiu marcar uma entrevista com aquele recrutador bacana, para uma vaga dos sonhos? Que maravilha, seu currículo deve tê-lo impressionado, suas referências foram bem aceitas. Agora é a hora da entrevista, momento crucial onde você pode ganhar ou perder a vaga.  Não fique nervoso, tenha em mente que o comportamento certo, a objetividade, a boa educação e a simpatia podem ser fatores determinantes na hora de conseguir a vaga. Fácil, não?

Fácil se você tratar desse momento com cuidado, planejando antes e estando preparado para todas as armadilhas que podem estar armadas no evento. Não tenha preguiça e, antes de mais nada, estude a empresa e o emprego para o qual se candidatou. Pesquise na Internet, pergunte a amigos e conhecidos. Esteja preparado para questionamentos relativos ao que você espera, busca, pretende ao obter a posição.

Faça um exercício de imaginação e pense antecipadamente como será a entrevista, o que vai dizer, quais itens de sua experiência vai destacar e quais das suas características vai apresentar para demonstrar que você é uma boa alternativa para o cargo e para a Empresa. Se for capaz, faça um ensaio ou mentalização prévia de como você quer que a entrevista se desenrole. Isso ajuda muitas pessoas, mesmo que na hora as coisas não sejam exatamente como você idealizou. Para obter a postura correta, imagine sua atitude de vencedor ao apresentar-se, visualize essa imagem para reproduzi–la na hora em que estiver falando com o entrevistador.

Chegue ao encontro pelo menos dez minutos antes do horário marcado para fazer o “reconhecimento do local”. Se puder obter alguma informação prévia sobre o entrevistador que o ajude a ter uma conversa amena para a abertura da discussão, não deixe de usar essa  pequena vantagem.

Se atrasar, ligue avisando sobre o atraso e deixe muito claro que a razão não tem a ver com alguma incompetência sua em administrar o tempo. Bem, depois falamos  do comportamento durante a entrevista mas, por enquanto, tenha muito sucesso!