Sobre Inteligência Emocional

Andei pensando nas competências que são cada vez mais importantes no mercado de trabalho e resolvi sugerir que você descubra como vai sua inteligência emocional. Não chega a ser um teste, apenas algumas perguntas, para você ter o tema em mente. Quer descobrir? Veja abaixo. Se a maioria das respostas for SIM, tudo bem. Se forem NÃO, é hora de começar a trabalhar no assunto.

O assunto não surgiu do nada na minha cabeça. Percebi que qualquer artigo que trata do futuro do trabalho cita Inteligência Emocional como um dos fatores críticos para o sucesso dos profissionais e também das empresas.

No momento, não tenho em mãos uma pesquisa confiável, mas quero acreditar que o sucesso de ambos está diretamente ligado à forma com que as pessoas se entendem no ambiente de trabalho e, em consequência, conseguem trabalhar melhor juntos.

foto Markus Spiske

Por outro lado, nos treinamentos de liderança e gestão dos quais participei, preparados a partir do pensamento mais moderno sobre o tema, um dos pontos mais ressaltados é o poder que a motivação tem para aumentar a produtividade das equipes, muito maior que atitudes autoritárias e distantes. Entender seus liderados demanda muita inteligência emocional, então se você já está ou quer estar numa posição de comando, precisa desenvolver muito essa competência.

Foto de capa de Alex Iby

Quote of the Day – 22 de março

O assunto liderança é um dos mais importantes objetos dos meus estudos e do meu trabalho. Muitos importantes intelectuais, políticos e líderes têm muito a dizer e eu quero compartilhar mais um dica.

Captura de Tela 2016-03-04 às 13.20.07.png

John Quincy Adams, advogado e político norte-americano, foi o sexto presidente dos Estados Unidos, governando de 1825 a 1829. Sua maior contribuição para os Estados Unidos foi o planejamento da Doutrina Monroe, durante o período que foi secretário de estado do presidente James Monroe.

Quote of the Day – 17 de março

Falando de liderança, aqui está mais uma dica sobre o assunto: muito mais que criar seguidores, bons líderes criam outros para não apenas sucedê-los como para assumir posições frente a outras equipes.

Captura de Tela 2016-03-13 às 12.45.19

Thomas J. Peters nasceu em Baltimore, Maryland. Fez a escola secundária na Severn School e a universidade na Cornell University, tendo-se graduado em engenharia civil em 1965, e obtendo um mestrado em 1966. Autor de “Em busca do Uau”, “O Círculo da Inovação” e “liberation Management”.

Dica de Carreira

Captura de Tela 2015-07-10 às 16.28.51Liderar é um desafio para homens e mulheres. O mundo corporativo está cheio de líderes medíocres, mas as empresas começam a perceber que não podem manter pessoas incapazes de trazer resultados satisfatórios. Se somarmos o momento de baixo crescimento do país, a qualidade dos profissionais e dos líderes que vão permanecer em seus postos será fator determinante para definir quem fica.

No que se refere às mulheres, particularmente, um dos maiores problemas que elas enfrentam ao exercer cargos de liderança, é ter que demonstrar a todo instante, sua capacidade e potencial de desincumbir-se das tarefas de liderança, demonstrar que, apesar de mais sensíveis e tolerantes com os subordinados, são capazes de resolver problemas e produzir resultados de acordo com as expectativas da empresa.

Captura de Tela 2015-07-10 às 16.34.39Existem muitas coisas que as mulheres podem fazer para serem líderes melhores, mas a dica de carreira de hoje é trabalhar a autoconsciência, conhecendo os próprios estados interiores, preferências, recursos e intuições, de forma a diminuir preconceitos, falta de autoconfiança e complexo de inferioridade. Uma auto-avaliação antes de assumir a liderança de um grupo poderá ajudar a começar o trabalho com maior firmeza e tranquilidade, com a certeza do próprio valor, sabendo quais cuidados deve tomar para não deixar suas emoções assumirem papel de protagonista nas relações com a equipe.

10 dicas para ser um Leader Teacher

Ser responsável pelo trabalho de uma equipe, por sua produtividade, seu desenvolvimento e sua realização não é tarefa para qualquer um. É necessário ter aptidão, vontade de ser um bom líder e desenvolver habilidades específicas que vão muito além de dar ordens e vê-las cumpridas. O velho conceito de chefe, aquele que não dialoga, não ouve opinião dos subordinados, não cuida do desenvolvimento das pessoas, está tão defasado da realidade quanto um senhor feudal.

Os líderes atuais precisam ter não apenas conhecimento técnico mas, sobretudo, comportamental. Precisam ser perceptivos, conhecer profundamente suas forças e fraquezas e como utilizá-las para lidar com a equipe, além de ter sensibilidade em relação ao significado do comportamento dos outros. Obviamente é necessário que tenham conhecimento do negócio em que estão inseridos e em como os acontecimentos políticos e sociais interferem no desempenho de sua empresa. Nem preciso falar que, apesar de parecer estar fora de moda, devido aos escândalos diários que nos agridem, ser ético é fundamental, da mesma maneira que livrar-se de preconceitos e de velhos paradigmas que não fazem mais sentido. Uma boa capacidade de negociação para estabelecer parcerias e influenciar pessoas, mesmo aquelas que não lhe são subordinadas, pode ser o ponto que fará a diferença para o sucesso do time inteiro.

Flexibilidade para mudar de rumo é um ponto primoroso e ser um Leader Teacher pode trazer a excelência para sua equipe. Captura de Tela 2014-08-04 às 15.43.14Para isso, tenho umas dicas, cujo autor perdeu-se, mas que valem a pena:

1. Estar aberto a aprender sempre

2. Descobrir as deficiências/gaps de conhecimento em você mesmo e na sua equipe

3. Buscar o conhecimento para você e para os outros, onde ele estiver

4. Verificar resultados do aprendizado e fazer correções de rumo

5. Partilhar suas próprias experiências

6. Contar histórias

7. Estimular o compartilhamento de conhecimentos e experiências dentro e fora da equipe

8. Dar exemplos concretos e verificáveis

9. Acreditar no potencial de aprendizado das pessoas

10. propiciar condições para que o aprendizado aconteça.

Não é fácil, mas qualquer líder é capaz de desenvolver essas habilidades. Se o fizer, tenho certeza de que todos sairão ganhando, você, sua equipe e sua empresa.

 

 

 

Passar de “peão” a chefe traz suas dores

Bem, depois de muito trabalho e esforço, você foi promovido a chefe da equipe da qual fez parte até ontem. Você entra no seu espaço diferenciado dos demais, sente-se orgulhoso, recompensado pela dedicação e empenho com que se destacou dos outros. Cadeira confortável? Mesa maior? Uma sala fechada? Maravilha! E agora? Como vai ser com seus camaradas, seus companheiros de almoço, de piadas sobre o chefe, de reclamações e fofocas? Pensa que é fácil? Não é mesmo.

A primeira coisa que você deve ter notado é que agora você tem um papel diferente dentro da organizacão. Você foi escolhido para liderar essa equipe, para obter o melhor de seus subordinados, agora você é o responsável por trazer os resultados. Bem, sua carreira de executivo iniciou e ela é diferente de sua carreira de subordinado. Você foi excolhido porque seu chefe reconheceu em você capacidade de mobilizar pessoas e motivá-las a produzir aquilo que a empresa precisa para atingir suas metas.

Não pense que, porque chegou a essa posição tudo está resolvido. Lembre-se que nos primeiros momentos você é um cara sob observação e os olhos de todos estão sobre você. Há um período de iniciação em que você terá de ser aceito pelos seus próprios pares, além da própria equipe. Não precisa ficar assustado com isso, todos os outros executivos passaram por esse período e, se você não tivesse mostrado capacidade, certamente não teria sido promovido.

Apenas aceite que esse período existe e não tente dar a impressão de que sabe tudo a respeito de liderar essa equipe somente porque fez parte dela. Não se acanhe em fazer perguntas, em buscar respostas claras sobre o que sua chefia espera de você, peça opiniões e sugestões aos subordinados. Afinal, gerir uma equipe exige que, além de conhecimento técnico você precisa ser capaz de controlar as tensões do grupo e manter o time focado em missão, valores, metas, indicadores de desempenho, agenda…

Você terá que ser capaz de antecipar problemas, identificar opções, desenvolver estratégias, estabelecer metas e planos de ação. Vai ter que organizar a distribuição de tarefas, facilitar a ação das pessoas, fazer correções de rota quando necessário.

Você terá que limitar as fofocas, mesmo que seus subordinados sejam seus super-amigos. E, se alguma chegar a você, lembre-se de, antes de tomar decisões, achar um jeito de separar o que é fato do que é fruto de opiniões ou sentimentos. Aprenda a ouvir os diversos lados envolvidos, de forma delicada para não ofender ninguém e para que seus velhos amigos não pensem que o cargo lhe subiu à cabeça.

Lembre-se que, para você se sair bem, é necessário criar alianças e parcerias com chefes, pares e com sua equipe. Você não precisa saber tudo de tudo, saiba o essencial e saiba quem tem as respostas para as diversas questões do seu dia-a-dia. Busque ajuda de outros gerentes se precisar, mesmo de seu chefe, pois ele está tão interessado quanto você no seu triunfo.

Não pense que é necesário mudar sua personalidade, tratar friamente seus amigos só porque virou chefe deles. Existem muitas maneiras delicadas de sair fora de uma fofoca ou de uma conversa boba. Aos poucos as pessoas percebem que seu papel mudou e comecam a tratá-lo como chefe, sem com isso deixarem de ser seus amigos. E daqui a pouco você vira Diretor….