Você é bom? Quem precisa saber já sabe?

Captura de Tela 2017-07-20 às 13.05.26Você está feliz com você mesmo, sabe que é bom no que faz e que está pronto para novos e importantes desafios. Ótimo, parabéns, isso não é fácil para todos, você é um vitorioso. Muitas pessoas têm uma baixa autoestima, outras não conseguem perceber suas qualidades, algumas são incapazes de saber onde precisam reforçar suas habilidades.

Agora quero lhe fazer uma pergunta essencial para seus próximos passos: as pessoas que precisam saber que você é tudo isso já sabem ou você não é percebido por elas da forma que gostaria ou precisaria?

Se a resposta for não, está na hora de trabalhar sua marca pessoal. Todos nós possuímos uma marca que deve ser estudada e avaliada, para mostrar aquilo que nos faz único e adequado para determinada posição. O mercado e as empresas já perceberam que cada indivíduo possui uma marca pessoal.

branding quote 2E, afinal, o que é Marca Pessoal? Marca Pessoal é a coleção de habilidades e experiências que alguém desenvolve durante toda vida. Você constrói sua marca conforme age em público e com as pessoas com as quais convive, nos diversos ambientes que frequenta. Inclui desde as crenças que defende, seu comportamento em público, a presença na mídia social, o uso correto da etiqueta,  chegando mesmo ao estilo de vestir e à forma de se expressar em uma reunião de trabalho.

Aprenda a gerenciar sua Marca Pessoal, mostrando seu melhor para as pessoas certas e seus resultados o conduzirão ao sucesso rapidamente.

Captura de Tela 2017-07-17 às 16.54.16

Quer saber mais? Entre em contato conosco.

 

 

Maria do Carmo Marini

Anúncios

Apoiando o Futuro tem também Maria do Carmo Marini

Avatar Keny 5Nosso projeto Apoiando o Futuro conta também com o conhecimento e experiência de Maria do Carmo Marini, engenheira de formação, Coach pela Sociedade Brasileira de Coaching, com especialização em Comunicação Corporativa pela FGV e pós-graduação em Consultoria de Carreira pela FIA-USP. Maria do Carmo Marini fez uma carreira consistente no setor Elétrico Paulista, tanto enquanto estatal quanto privado, ocupando posições executivas importantes e participando do maior processo de change management do estado, quando liderou várias áreas da complexa divisão e da privatização das empresas de energia paulistas. Há 8 anos passou por um processo de transição de carreira que a conduziu ao desenvolvimento de pessoas. A partir de então vem trabalhando e estudando especialmente as questões ligadas a carreira, desenvolvimento de lideranças, relacionamento empresarial, gerenciamento de marca pessoal e etiqueta corporativa. É associada à RH Talento e parceira estratégica do Escritório de Carreiras da USP.

Etiqueta Corporativa no século XXI

Está para começar sua nova aventura, o início de uma fase cheia de surpresas, na qual você tem que se sair bem: um novo emprego. A mistura de sentimentos é grande: animação, curiosidade, medo, dúvidas faz sua cabeça rodar e lhe traz a sensação de estar rodando num carrossel igual àqueles de quando você era uma criança.captura-de-tela-2017-02-15-as-11-18-50

Qual será o comportamento que sua nova empresa espera de você? Sem dúvida, espera que você demonstre competência técnica para a função que lhe atribuiu. Claro que seu novo chefe quer ver comprometimento, empatia e disposição, energia, curiosidade. E isso você tem de sobra.

Mas, e o dia-a-dia? Como você deve se comportar com chefes, colegas e subordinados? Como você vai conquistá-los e demonstrar que quer e vai ser um novo membro do time? Cada empresa tem seu próprio código de conduta, um comportamento esperado e você terá que descobrir a adaptar-se a ele. Por mais semelhantes que eles possam ser, existem particularidades que, se você não perceber, podem trazer um prejuízo significativo para seu processo de aceitação. É a etiqueta corporativa da empresa que precisa ser entendida, absorvida e assumida se você quiser fazer parte do time.captura-de-tela-2017-02-14-as-17-36-26

Etiqueta Corporativa não é nada além do comportamento a ser seguido num determinado ambiente profissional. Ela varia de cultura para cultura e de país para país e de empresa para empresa. É um conjunto de regras normalmente acordadas para se comportar no ambiente de negócios. Tem a ver com a forma como um indivíduo interage com colegas, subordinados, clientes e todos aqueles com que se relaciona.

A maneira com que você se comporta está sempre sob exame, qualquer que seja o seu nível de desempenho e pode ser levada em conta quando chega a hora de promoções, prêmios ou reconhecimento.

captura-de-tela-2017-02-14-as-17-44-34A Etiqueta Corporativa vai desde o comportamento ético até à maneira com que você se mostra nas redes sociais. Passa por regras de apresentações pessoais, comportamento no escritório, a maneira como você conversa, discrição junto às pessoas com quem você convive, jantares e almoços de negócios, eventos setoriais, telefonemas, respeito aos outros, gentileza.

Considerando a importância do tema, desenvolvemos um trabalho, dentro do projeto Brand&Behavior, sobre Ética, Etiqueta Corporativa e Netiqueta, que já está disponível para empresas que decidirem melhorar produtividade e ambiente de trabalho através de uma melhor convivência e de um alinhamento ótimo aos valores da empresa.captura-de-tela-2017-02-15-as-11-23-42

Entre em contato para detalhamento. Nosso trabalho será customizado de acordo com a necessidade de cada cliente.

Vida Virtual e Self Digital, por Alessandra de Laurenza

captura-de-tela-2016-11-24-as-15-22-28A revolução digital trouxe na nossa sociedade um enorme impacto, mudando a maneira como percebemos a realidade e a forma como interagimos com ela. Essas mudanças influenciaram e modificaram o relacionamento entre empresas e consumidor causando mudanças em todos os setores da vida das pessoas e das empresas, trazendo consequências que vão desde novas formas de comunicar, com o surgimento da interativa web2.0 a partir de 2004, até a criação de espaços virtuais onde as barreiras que existiam antes transformaram de forma radical o relacionamento entre o consumidor e as marcas, entre as empresas e seus funcionários e a maneira com que as pessoas trabalham e produzem conteúdos. Um exemplo disso são as novas formas de colaboração peer to peer como Wikipedia, que une milhares de pessoas espalhadas pelo mundo trabalhando juntas para a criação de cultura compartilhada. Aqui no Brasil nessa nova onda da economia colaborativa um exemplo é a rede Dots, grupo no facebook criado por Kuki Bailly, que o define como “uma rede na veia da economia colaborativa, e colaboração só acontece onde existe confiança e confiança se constrói com relacionamento­­­­­” .

captura-de-tela-2016-11-24-as-15-20-44Pessoas e empresas têm a possibilidade de “existir” também virtualmente. Com a mudança de paradigma do marketing tradicional para o marketing digital e o surgimento de novos instrumentos de comunicação on-line como blogs, vlogs, aplicativos, redes sociais e tantos outros, tanto o consumidor quanto as empresas têm a possibilidade de usar estes instrumentos para criar a sua própria marca e construir a sua Persona Digital. Muita coisa mudou nos últimos 10 anos com o nascimento da web 2.0 e com o surgimento das mídias sociais, basta pensar que Facebook nasceu em 2004, Twitter 2006, Linkedin 2003 e, dentro dessa nova realidade, mudou também a relação entre a marca e seu público e a maneira como as pessoas estão se relacionando também está mudando. Empresas e pessoas se encontram em um mercado onde as barreiras de acesso a informação caíram, as mídias sociais e os aplicativos estão dominando as relações comerciais e pessoais, e o consumidor graças a estes instrumentos mudou o seu comcaptura-de-tela-2016-11-24-as-15-18-51portamento se tornando mais participante e exigente.

Transparência, participação e interação fazem parte dessa nova realidade entre marca e consumidor graças ao marketing digital que, através do uso de instrumentos digitais, realiza campanhas de marketing e de comunicação integradas, segmentadas e capazes de gerar resultados que podem ser medidos na mesma hora. Por exemplo, o número de likes de uma página no facebook, ou número de followers no Instagram, ajudando as organizações a individualizarem constantemente as necessidades do consumidor.

O mesmo vale para para o profissional que perdeu seu emprego e a única alternativa é empreender. Para essas pessoas a criação da própria imagem on-line é tão importante quanto a imagem off-line, e saber construir o próprio Self Digital de forma correta e eficiente, é o resultado de uma boa estratégia de Personal Branding on-line.

captura-de-tela-2016-11-24-as-15-24-43Por causa da rede as pessoas são mais influenciados nas decisões de compra e na escolha de produtos e serviços pelas redes sociais do que pelos tradicionais anúncios em revista ou publicidade na televisão. Dentro deste novo panorama, o marketing e os modelos de comunicação do velho paradigma se tornaram invasivos e pouco transparentes, o consumidor optou por fazer pesquisa e pedir conselhos diretos para seus amigos (peer) nas redes sociais. Depois de 2007 as empresas começaram a criar a própria imagem nas redes sociais, a criar comunidades próprias on-line em torno das marcas, a abrir páginas no Facebook, no Instagram a ter blogs, canal no Youtube se comunicando diretamente com o próprio público. As mídias sociais se tornaram nos últimos 5 anos influencers e a reputação de uma marca ou uma pessoa passa inevitavelmente pelas redes sociais, através de comentários positivos ou negativos em blogs e redes sociais.

Captura de Tela 2016-11-24 às 15.26.11.pngHoje é impossível fugir da rede e é imprescindível aprender a usá-la para criar a própria imagem e reputação. A internet ajudou os mercados a reconquistarem a sua natureza original de espaço de agregação, troca e discussão em relação aos produtos. Podemos dizer que a internet tem essa função de agregar parecida com a que o mar Mediterrâneo teve na antiguidade, a diferença hoje é que na rede o modelo econômico comercial é diferente. Chris Anderson autor do Livro “A cauda longa” e editor-chefe da revista americana Wired, descreve a lógica de mercado da rede que subverte as leis de mercado tradicionais onde vem oferecido um produto em resposta a uma demanda. Na lógica da cauda longa, a Internet possibilitou a criação de nichos de consumo, dando às empresas pequenas as mesmas oportunidades de visibilidade das grandes marcas. Na cauda longa da rede estes nichos têm um peso significativo comparado com o antigo modelo, onde havia uma grande atenção focada apenas na venda de produtos muito populares, proporcionando ao indivíduo maiores possibilidades de escolha, graças à distribuição digital da rede.captura-de-tela-2016-11-24-as-15-34-14

Youtube é um fenômeno de sucesso graças a uma infinidade de vídeos com poucos acessos e não a poucos vídeos com milhões de acesso.

Dentro desse novo panorama, as empresas e pessoas devem aprender a construir a própria presença online dominando os códigos da cultura digital, desde critérios para o uso correto das fotos para cada rede social, até como escrever a própria biografia de forma correta. Devem entender a importância de Google na nossa vida virtual e de como o uso de palavras chaves corretas é uma estratégia fundamental para ter uma presença relevante na rede, além de conhecer a Netiquette, etiqueta na rede e suas regras

captura-de-tela-2016-11-24-as-15-28-34

 

 

Alessandra de Laurenza é consultora de projetos digitais para Personal Brand, designer e autora do livro Eu.com.