Personal Branding, você está cuidando dessa questão?

Captura de Tela 2017-08-28 às 19.39.13.pngPersonal Branding, que algumas pessoas chamam de  Marketing Pessoal significa identificar, comunicar e mostrar aquelas características que diferenciam você das outras pessoas, que o fazem sobressair como profissional no mercado de trabalho. Significa sobretudo, gerenciar sua marca de pessoal de forma positiva, de forma a lhe trazer maiores oportunidades de ser reconhecido.
Você, eu, todos nós possuímos uma marca que deve ser percebida e avaliada primeiramente por nós mesmos para destacar aquilo que somos capazes de agregar ao mercado e às pessoas que conosco se relacionam. A marca pessoal bem gerenciada é o que faz com que você consiga demonstrar qual é sua promessa única de valor.
Gerenciar de forma eficiente sua Marca Pessoal é mostrar aquelas qualidade que trazem  valor ao público ao qual você precisa se dirigir. Lembre-se que nem todas as suas qualidades interessam a todos os grupos aos quais você se relaciona.
Captura de Tela 2017-08-28 às 19.38.23É contraproducente, por exemplo, mostrar que você é um grande bailarino para seu chefe numa empresa de engenharia, por exemplo. Isso não vai acrescentar nenhum ponto ao reconhecimento que ele possa ter de sua capacidade de tocar uma obra. Na melhor das hipóteses, ele vai achar exótico, mas você não vai receber um novo cargo por isso. Por outro lado, se você está buscando um emprego no corpo de baile da Globo, essa é uma qualidade que você deverá ressaltar.
Personal Branding é uma tarefa complexa, que exige percepção aguçada, sensibilidade, capacidade de ouvir o que os outros têm a dizer sobre você e flexibilidade para fazer mudanças quando necessário. Entretanto, é o que fará com que você se diferencie e mostre sua singularidade e seu valor.
Captura de Tela 2017-08-28 às 19.44.29.png
Quer saber mais sobre o assunto? Acompanhe nossas postagens aqui ou no Facebook, publicamos constantemente dicas interessantes para quem quer construir um futuro profissional de sucesso. Nosso projeto Apoiando o Futuro oferece soluções customizadas para pessoas e empresas. Se precisar de mais detalhes sobre nossos serviços entre em contato conosco através de nossos emails.
Maria do Carmo Marini
Anúncios

Vida Virtual e Self Digital, por Alessandra de Laurenza

captura-de-tela-2016-11-24-as-15-22-28A revolução digital trouxe na nossa sociedade um enorme impacto, mudando a maneira como percebemos a realidade e a forma como interagimos com ela. Essas mudanças influenciaram e modificaram o relacionamento entre empresas e consumidor causando mudanças em todos os setores da vida das pessoas e das empresas, trazendo consequências que vão desde novas formas de comunicar, com o surgimento da interativa web2.0 a partir de 2004, até a criação de espaços virtuais onde as barreiras que existiam antes transformaram de forma radical o relacionamento entre o consumidor e as marcas, entre as empresas e seus funcionários e a maneira com que as pessoas trabalham e produzem conteúdos. Um exemplo disso são as novas formas de colaboração peer to peer como Wikipedia, que une milhares de pessoas espalhadas pelo mundo trabalhando juntas para a criação de cultura compartilhada. Aqui no Brasil nessa nova onda da economia colaborativa um exemplo é a rede Dots, grupo no facebook criado por Kuki Bailly, que o define como “uma rede na veia da economia colaborativa, e colaboração só acontece onde existe confiança e confiança se constrói com relacionamento­­­­­” .

captura-de-tela-2016-11-24-as-15-20-44Pessoas e empresas têm a possibilidade de “existir” também virtualmente. Com a mudança de paradigma do marketing tradicional para o marketing digital e o surgimento de novos instrumentos de comunicação on-line como blogs, vlogs, aplicativos, redes sociais e tantos outros, tanto o consumidor quanto as empresas têm a possibilidade de usar estes instrumentos para criar a sua própria marca e construir a sua Persona Digital. Muita coisa mudou nos últimos 10 anos com o nascimento da web 2.0 e com o surgimento das mídias sociais, basta pensar que Facebook nasceu em 2004, Twitter 2006, Linkedin 2003 e, dentro dessa nova realidade, mudou também a relação entre a marca e seu público e a maneira como as pessoas estão se relacionando também está mudando. Empresas e pessoas se encontram em um mercado onde as barreiras de acesso a informação caíram, as mídias sociais e os aplicativos estão dominando as relações comerciais e pessoais, e o consumidor graças a estes instrumentos mudou o seu comcaptura-de-tela-2016-11-24-as-15-18-51portamento se tornando mais participante e exigente.

Transparência, participação e interação fazem parte dessa nova realidade entre marca e consumidor graças ao marketing digital que, através do uso de instrumentos digitais, realiza campanhas de marketing e de comunicação integradas, segmentadas e capazes de gerar resultados que podem ser medidos na mesma hora. Por exemplo, o número de likes de uma página no facebook, ou número de followers no Instagram, ajudando as organizações a individualizarem constantemente as necessidades do consumidor.

O mesmo vale para para o profissional que perdeu seu emprego e a única alternativa é empreender. Para essas pessoas a criação da própria imagem on-line é tão importante quanto a imagem off-line, e saber construir o próprio Self Digital de forma correta e eficiente, é o resultado de uma boa estratégia de Personal Branding on-line.

captura-de-tela-2016-11-24-as-15-24-43Por causa da rede as pessoas são mais influenciados nas decisões de compra e na escolha de produtos e serviços pelas redes sociais do que pelos tradicionais anúncios em revista ou publicidade na televisão. Dentro deste novo panorama, o marketing e os modelos de comunicação do velho paradigma se tornaram invasivos e pouco transparentes, o consumidor optou por fazer pesquisa e pedir conselhos diretos para seus amigos (peer) nas redes sociais. Depois de 2007 as empresas começaram a criar a própria imagem nas redes sociais, a criar comunidades próprias on-line em torno das marcas, a abrir páginas no Facebook, no Instagram a ter blogs, canal no Youtube se comunicando diretamente com o próprio público. As mídias sociais se tornaram nos últimos 5 anos influencers e a reputação de uma marca ou uma pessoa passa inevitavelmente pelas redes sociais, através de comentários positivos ou negativos em blogs e redes sociais.

Captura de Tela 2016-11-24 às 15.26.11.pngHoje é impossível fugir da rede e é imprescindível aprender a usá-la para criar a própria imagem e reputação. A internet ajudou os mercados a reconquistarem a sua natureza original de espaço de agregação, troca e discussão em relação aos produtos. Podemos dizer que a internet tem essa função de agregar parecida com a que o mar Mediterrâneo teve na antiguidade, a diferença hoje é que na rede o modelo econômico comercial é diferente. Chris Anderson autor do Livro “A cauda longa” e editor-chefe da revista americana Wired, descreve a lógica de mercado da rede que subverte as leis de mercado tradicionais onde vem oferecido um produto em resposta a uma demanda. Na lógica da cauda longa, a Internet possibilitou a criação de nichos de consumo, dando às empresas pequenas as mesmas oportunidades de visibilidade das grandes marcas. Na cauda longa da rede estes nichos têm um peso significativo comparado com o antigo modelo, onde havia uma grande atenção focada apenas na venda de produtos muito populares, proporcionando ao indivíduo maiores possibilidades de escolha, graças à distribuição digital da rede.captura-de-tela-2016-11-24-as-15-34-14

Youtube é um fenômeno de sucesso graças a uma infinidade de vídeos com poucos acessos e não a poucos vídeos com milhões de acesso.

Dentro desse novo panorama, as empresas e pessoas devem aprender a construir a própria presença online dominando os códigos da cultura digital, desde critérios para o uso correto das fotos para cada rede social, até como escrever a própria biografia de forma correta. Devem entender a importância de Google na nossa vida virtual e de como o uso de palavras chaves corretas é uma estratégia fundamental para ter uma presença relevante na rede, além de conhecer a Netiquette, etiqueta na rede e suas regras

captura-de-tela-2016-11-24-as-15-28-34

 

 

Alessandra de Laurenza é consultora de projetos digitais para Personal Brand, designer e autora do livro Eu.com.

 

 

 

Tudo o que você queria saber sobre Outplacement e não tinha para quem perguntar

Captura de Tela 2015-12-11 às 13.29.55Segundo a AOCFI – The Association of Outplacement Consultancy Firms International, associação que regula internacionalmente a atividade, o Outplacement é definido como um processo que auxilia colaboradores demitidos a abordar o mercado de trabalho de modo organizado e disciplinado, na busca por uma recolocação no menor tempo possível e com mínimo de impacto.

É uma significativa ferramenta de gestão organizacional que humaniza processos de demissão, facilitando a vida das pessoas e da empresa. As empresas brasileiras começaram a usar esse trabalho na década de 90, no geral relacionado aos grandes processos de privatização e de fusões e aquisições.

Captura de Tela 2015-12-11 às 13.28.35Dessa forma, o serviço de outplacement geralmente era – e ainda é – contratado pela empresa que tem um programa de demissão estruturado. Entretanto, num momento de crise como o que estamos vivendo, muitas pessoas vêm sendo demitidas sem que a empresa se preocupe com o futuro que as espera. Num momento de corte de custos extremos, as demissões por si sós representam um gasto muito significativo e muitas empresas deixaram de investir nesse serviço.

Então, muitas pessoas estão usando dinheiro recebido por conta da demissão na contratação de serviços de outplacement, sem muitas certezas sobre o que esperar. Daí nossa preocupação em esclarecer alguns pontos obscuros relacionados ao tema.

Captura de Tela 2015-12-11 às 13.28.58Em primeiro lugar, um processo de outplacement não lhe garantirá um emprego novo. Esse serviço – de recolocação profissional – pode ou não estar incluído no seu pacote. Esclareça isso antes de criar expectativas erradas. Mesmo que não inclua a garantia de recolocação, o outplacement é uma atividade abrangente e importante para quem está em busca de um novo lugar para trabalhar.

Na maior parte dos casos, demissão provoca um momento difícil, de insegurança e de dúvidas sobre a própria capacidade. Quando uma consultoria em outplacement é contratada, ela dá suporte ao profissional, ajuda-o a passar pela dificuldade e a resgatar suas aptidões e capacidades. Além disso, vai orientá-lo sobre a melhor maneira de recomeçar.

Captura de Tela 2015-12-11 às 13.38.51Apesar de ser difícil, você pode aproveitar essa oportunidade para repensar sua carreira, descobrir quem você realmente é e o que o faz feliz. Um profissional de outplacement vai ajudá-lo não apenas a rever seus objetivos pessoais e profissionais, mas também  a descobrir aqueles empregos que poderão lhe trazer mais satisfação pessoal. Ele vai dar suporte para você preparar e adequar seu currículo  e vai prepará-lo para entrevistas.

Captura de Tela 2015-12-11 às 13.42.58Ele o auxilia a desenvolver a sua rede de contatos e de relacionamento – que é fundamental nesse momento -, cuidar desta rede e trabalhar técnicas de marketing pessoal e de negociação. Incentiva, ainda, a busca do aperfeiçoamento e do desenvolvimento que poderá auxiliá-lo a tornar-se mais interessante para o trabalho que você tem em mente. Ele vai ajudá-lo a focar nas empresas que lhe interessam e na maneira correta de abordá-las.

Enfim, um processo de outplacement, mesmo que não lhe dê a vaga que você quer, vai ajudá-lo a conquistá-la através de seus próprios esforços e méritos.