Chefe tirano, quem aguenta?

Carreiras - Construção e Transição

Parece que isso é uma coisa completamente fora de moda, que não existe mais. No entanto, tenho visto tantas pessoas contarem dos chefes tiranos com que têm que lidar, que nem consigo acreditar. Essa figura grotesca ainda tem espaço em diversas empresas e eu não sei como nem porque.

No geral esse tipo de sujeito tem uma insegurança intrínseca como líder, como profissional e até como pessoa. Usa o poder para diminuir os outros que é a maneira com que consegue se sentir superior. Obviamente, o que ele precisaria é de uma terapia de longa duração, mas você que tem que aturá-lo no dia-a-dia não pode nem pensar em sugerir algo assim. Então, terá que lidar com isso.

Primeira coisa, reforce sua auto-estima, tenha clareza de sua capacidade de trabalho, da sua boa educação, do seu papel dentro da empresa. Depois, lembre-se que uma pessoa assim tem problemas, ou seja, ele tem problemas, você não. Não fique se queixando pelos corredores, não dê mais ibope do que o cara merece. Tem alguns desses tiranos que adoram fazer o gênero e saber que é motivo de angústia e assunto dos subordinados.

Se as exigências forem muito além do razoável, trabalho em horas muito fora do normal, reuniões loucas no fim do dia, convocações para trabalhar sábados ou domingos, comece a pensar em soluções mais radicais. Você pode tentar conversar com ele, chamar a atenção para o fato de ele estar extrapolando os limites razoáveis. Explique que o seu rendimento – e de outras pessoas – será menor, que os resultados poderão ser falhos em razão da pressão contínua. Pode ser que funcione, se você sentir-se confortável nesse papel. Se achar que vai desmoronar, nem tente, não se mostre mais frágil porque ele vai adorar e quem sabe, piorar.

Você pode procurar a área de Recursos Humanos e fazer uma queixa formal. O resultado vai depender de o quanto o RH for flexível para lidar com esse tipo de situação. Em algumas empresas, os responsáveis pela área têm medo de fazer seu papel e enfrentar chefes tiranos exige uma certa coragem. Outra possibilidade é “passar por cima” e falar da situação com o chefe superior. Cuidado, porque o apoio entre pares e semelhantes, que sempre existe nas empresas, pode anular qualquer esforço que você fizer. Pode até piorar a situação.

Seja qual for o caminho que seguir, esteja preparado para consequências. Comece a pensar em pedir transferência de área ou até em buscar outro emprego. Afinal, deixar que um tirano acabe com sua tranquilidade e paz pode significar uma doenca no futuro. Lembre-se que não tem o que ou quem justifique você optar por ser infeliz. Sei de amigos que estão fazendo tratamento para depressão, coração, úlcera, em razão desse tipo de situação. Não seja um deles, cuide de você.

Perder poder na empresa: está difícil de enfrentar? (já publicado em janeiro de 2010)

Carreiras - Construção e Transição

Boa parte das pessoas que conheço (inclusive eu mesma) passou por aquele terrível momento de perder poder dentro da empresa. É o inferno na terra e faz com que qualquer um se questione sobre sua capacidade profissional, seu futuro, suas relações com os outros, enfim, o mundo desmorona um pouco. Uma gerente que perde o cargo numa reestruturação, um diretor que precisa aceitar uma posição de assessor para não perder o emprego, a secretária do presidente que é “promovida” para a área de recursos humanos ou comunicação, todos esses são exemplos de perda de poder comuns em qualquer empresa.

Por mais que você diga a si mesmo que está melhor assim, não acredita. Muitas vezes você está mesmo melhor, mas só vai descobrir quando se firmar na nova posição e perceber que as pessoas reconhecem sua capacidade para fazer o que está fazendo e está se saindo muito bem. Tenha certeza de que a última pessoa que vai reconhecer isso é você mesmo.

Bem, se você perdeu poder e não pode ou acha que não pode pedir demissão e recomeçar em outro lugar, saiba que terá que passar por todas as etapas da perda. Só depois começará a adquirir um novo poder, baseado em novas conquistas, com vitórias sofridas e outras verdades aprendidas. Portanto, terá que trabalhar muito para chegar lá novamente.

Para começar se, no seu cargo antigo, você era bem visto, considerado alguém cooperativo, que respeitava os outros, inteligente, bom caráter, vai ser mais fácil se reerguer. Se você abusava de seu poder, tratava as pessoas com pouca consideração, não tinha a estima e simpatia dos seus colegas, vai ser muito mais difícil. Em ambos os casos, você terá que fazer um esforço enorme de humildade e pedir ajuda para quem está na sua nova área há mais tempo.

Vale a pena pensar em fazer terapia ou recorrer a um coach (não é puxar brasa para minha sardinha, tenha certeza) que poderá ajudá-lo a descobrir potenciais adormecidos e esquecidos e a dar uma turbinada na sua imagem. Um curso de especialização ou um curso curtinho relacionado à nova atividade vai mostrar que você veio disposta a consolidar sua posição na área. Acreditar em você mesmao na sua capacidade de superar obstáculos, vai lhe dar a força necessária para dar a volta por cima. Entretanto, se não conseguir lidar com a necessidade de reconquista, procure outro emprego, mesmo que seja de menor importância. Em outra empresa você será um desconhecido, uma surpresa, sem precisar explicar aos amigos e aos inimigos o que você está fazendo ali.